Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/85431
Title: Correlatos da Flexibilidade Psicológica Parental e o seu papel na relação entre sintomatologia ansiosa e depressiva e estilos parentais
Other Titles: Correlates of Parental Psychological Flexibility and its role in the relationship between anxious and depressive symptomatology and parental styles
Authors: Silva, Catarina Sofia Loureiro 
Orientador: Fonseca, Ana Dias
Canavarro, Maria Cristina Cruz Sousa Portocarrero
Keywords: Estilo Parental Autoritário; Estilo Parental Autoritativo; Evitamento Experiencial; Flexibilidade Psicológica Parental; Parentalidade; Authoritarian Parenting Style; Authoritative Parenting Style; Experiential Avoidance; Parental Psychological Flexibility; Parenting
Issue Date: 19-Jul-2018
Serial title, monograph or event: Correlatos da Flexibilidade Psicológica Parental e o seu papel na relação entre sintomatologia ansiosa e depressiva e estilos parentais
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Objetivos: A Flexibilidade Psicológia Parental é uma competência importante no contexto da parentalidade uma vez que alguns estudos sugerem que esta promove o uso de estilos parentais mais adaptatativos e, ainda, contribui para transmissão de bem-estar psicológico para a criança. Assim, o presente estudo procurou conhecer melhor este recurso/competência, explorando os seus correlatos sociodemográficos, clínicos, da criança e do contexto de prestação de cuidados. Para além disso, teve como objetivo analisar se a sintomatologia ansiosa e depressiva estava associada a estilos parentais (mal)adaptativos, e se essa relação ocorria através da flexibilidade psicológica parental. Método: Foi conduzido um estudo transversal, utilizando uma amostra de 454 pais de crianças com idades compreendidas entre os dois e os 19 anos que responderam a um conjunto de instrumentos de avaliação de autorresposta. Uma parte da amostra foi recolhida online, através de anúncios nas redes sociais, em grupos relacionados com o tópico da parentalidade e num site elaborado para este propósito, enquanto que a restante parte da amostra foi recolhida presencialmente no Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho. Resultados: Verificou-se que a sintomatologia depressiva (p < .001), a história de problemas de saúde psiquiátricos ou psicológicos (p < .10), o temperamento do filho (p < .05) e a flexibilidade psicológica geral (p < .01) foram as variáveis que se associaram de forma mais significativa com a flexibilidade psicológica parental. Ainda, os resultados evidenciaram que o efeito da sintomatologia ansiosa e depressiva nos estilos parentais autoritário e autoritativo ocorreu, de forma indireta, através da flexibilidade psicológica parental. Especificamente, níveis mais elevados de sintomatologia associaram-se a menor flexibilidade psicológica parental que, por sua vez, se associou à utilização de estilo parental menos autoritativo e mais autoritário. Conclusões: Os resultados obtidos demonstraram algumas características que contribuem para a flexibilidade psicológica parental, bem como o papel deste construto enquanto competência que favorece a adoção de estilos parentais mais adaptativos, até mesmo na presença de sintomatologia ansiosa e depressiva. Assim, constituem um importante contributo para o contexto de intervenção na medida em que sugerem a intervenção preventiva junto de pais em risco de utilizar estratégias parentais maladaptativas, para além de fomentarem a reflexão acerca de intervenções futuras baseadas no modelo da Terapia da Aceitação e Compromisso (ACT), todavia, adaptadas ao contexto da parentalidade.Palavras-chave: Estilo Parental Autoritário; Estilo Parental Autoritativo; Evitamento Experiencial; Flexibilidade Psicológica Parental; Parentalidade; Sintomatologia Ansiosa; Sintomatologia Depressiva.
Objective: Parental Psychological Flexibility is an important competence in the parenting context as some studies suggest that it may promote more adaptive parental styles and may contribute to the child’s psychological well-being. Thus, the purpose of the present study was to explore the sociodemographic, clinical, child and context of care correlates of this resource. Besides that, it aimed to analyze if the anxious and depressive symptomatology were associated with the parental styles, and if this relationship occurs through the Parental Psychological Flexibility. Methods: A cross-sectional study was conducted using a sample of 454 parents of children aged between two and 19 years, who answered to a set of self-response assessment instruments. A portion of the sample was collected online, through advertisement on social networks, in groups related to parenting stuff and on a site designed for this purpose, while the rest of the sample was collected in person at the Montemor-o-Velho school. Results: We found that the depressive symptomatology (p < .001), the history of psychiatric or psychological health problems (p < .10), the child's temperament (p < .05) and the general psychological flexibility (p < .01) were the variables that were most significantly associated with parental psychological flexibility. Moreover, the results proved that the effect of anxious and depressive symptomatology on parental styles occured, indirectly, through parental psychological flexibility. Specifically, higher levels of symptomatology were associated with lower parental psychological flexibility which, in turn, was associated with the use of less authoritative and more authoritarian parental style. Conclusion: The results showed some characteristics that contribute to the parental psychological flexibility, as well as the role of this construct as a competence that increase the adoption of more adaptive parental styles, even in the presence of anxious and depressive symptomatology. Therefore, they constitute an important contribution to the intervention context insofar, as they suggest the implementation of preventive interventions with parents at risk of using maladaptive parental strategies, in addition to encouraging the development of future interventions based on the Acceptance and Commitment Therapy model (ACT), but adapted to the parenting context.Key-words: Anxious Symptomatology; Authoritarian Parenting Style; Authoritative Parenting Style; Depressive Symptomatology; Experiential Avoidance; Parental Psychological Flexibility; Parenting.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/85431
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_2018_CatarinaSilva.pdf619.22 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

419
checked on Sep 13, 2021

Download(s) 50

342
checked on Sep 13, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons