Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82547
Title: Postural and anthropometric changes in canoe sprint athletes: the Impact of two different active recovery methods
Other Titles: Alterações posturais e antroprométricas em atletas de canoa: o impacto de dois diferentes métodos de recuperação ativa
Authors: Silva, Nuno António Vieira da 
Orientador: Gomes, Beatriz Branquinho
Pinheiro, João José Carreiro Pascoa
Keywords: postura; antropometria; termografia; canoagem; recuperação; posture; anthropometry; thermography; canoe sprint; recovery
Issue Date: 22-Mar-2018
Serial title, monograph or event: Postural and anthropometric changes in canoe sprint athletes: the Impact of two different active recovery methods
Place of publication or event: FMUC, ADAI, Centro Saúde Militar Coimbra
Abstract: Introdução: A técnica de pagaiada em canoa requer um trabalho muscular assimétrico e cíclico, uma vez que os atletas pagaiam apenas do lado direito ou esquerdo de barco, predispondo, por isso, a desequilíbrios musculares e lesões. Objetivos: O primeiro objetivo do estudo foi analisar o perfil postural e antropométrico de 10 canoístas de alto rendimento utilizando a técnica de biofotogrametria e realizando uma avaliação das alterações antropométricas. O segundo objetivo do estudo foi avaliar dois métodos de recuperação ativa distintos (pagaiar do lado habitual e paradoxal) aplicando um protocolo de teste físico de forma a realçar o potencial do método paradoxal sugerido para minimizar o problema identificado. Esta investigação pretendeu também demonstrar as utilidades da termografia infravermelha na medicina desportiva, particularmente no diagnóstico postural.Métodos: Dez indivíduos do sexo masculino (idade 22.30 ± 3.68 anos) foram analisados utilizando um programa de avaliação postural e uma série de medições antropométricas que permitiram quantificar os desequilíbrios posturais e antropométricos. Os atletas realizaram duas vezes um protocolo de teste físico que diferiu aleatoriamente apenas no método de recuperação ativa aplicado: pagaiar do lado habitual ou pagaiar do lado paradoxal (utilizando os grupos musculares opostos aos mais solicitados habitualmente). Os atletas completaram uma sessão de treino em ergómetro de canoa seguido pela aplicação do método de recuperação ativa respetivo e por um teste de simulação de competição de 500m para avaliar a eficácia da recuperação. Temperatura cutânea, imagem termográfica e concentração de lactato sanguíneo foram os parâmetros principais determinados durante o protocolo. Resultados: Observaram-se desequilíbrios posturais expressos pelas distâncias corporais medidas entre alturas relativas de pontos anatómicos contralaterais, sendo o hemicorpo correspondente ao lado da pagaiada (lado dominante) sempre o mais alto. Existiram também diferenças estatisticamente significativas nas massas magras segmentares e nas circunferências corporais comparadas entre membros superiores e inferiores a nível contralateral, sendo o hemicorpo dominante o maior em massa magra e circunferência. Não existiram diferenças significativas no desempenho de 500m, após a realização da sessão de treino e a recuperação ativa, em termos de tempo, potência média e concentração de lactato sanguíneo, independentemente do tipo de recuperação ativa realizada.Conclusão: A prática de canoa conduz a desequilíbrios posturais e antropométricos e, uma vez que não existiram diferenças significativas no desempenho, independentemente do método de recuperação ativa aplicado, será adequado implementar a recuperação ativa paradoxal na prática diária de treino dos atletas, realizando uma simbiose entre recuperação e compensação, a nível médico e desportivo.
Introduction: Canoe paddling technique requires an asymmetric and cyclic muscular work, as athletes paddle on the right or left side of a canoe, that predispose athletes to muscle imbalance and injuries. Objectives: The first aim of the study was to analyse the postural and anthropometric profile of 10 elite sprint canoeists using the biophotogrammetry technique and performing a measurement of the anthropometric characteristics. The second aim of the study was to evaluate two different active recovery methods (usual and paradoxical paddling) using a physical test protocol in order to highlight the potential of the paradoxical method suggested to minimize the problem identified. The third aim of the study was to show the usefulness of infrared thermography in sports medicine, particularly in posture diagnosis.Methods: Ten males (22.30 ± 3.68 years old) were evaluated using a postural assessment software and a set of anthropometric measurements that quantified the postural and anthropometric imbalances. The athletes performed two times a randomized physical protocol that differed only in the active recovery method: paddling on the usual side or paddling on the paradoxical side (focusing on the opposite muscle groups than those more requested in the usual paddling). Athletes completed a training session on a canoe ergometer followed by the respective recovery method and a simulated competition trial of 500m to evaluate the effectiveness of the recovery. Skin temperature, thermal image and blood lactate concentration assessment were the main parameters collected during the protocol. Results: There was a postural imbalance expressed by the measured body distances between relative heights of contralateral anatomical points, being the hemibody corresponding to the side of the stroke (dominant side) always the highest. It was also observed significant differences in the segmental lean masses and the girths compared between the contralateral lower and upper limbs, being the dominant hemibody bigger in both lean mass and girth. There were no significant differences in the 500m performance, after performing the training session and the active recovery, in terms of time, mean power and blood lactate concentration, regardless the type of active recovery performed. Conclusion: Canoe practice leads to postural and anthropometric changes and, since there were no significant differences in the performance using the two different active recovery methods, it would be useful to implement the paradoxical active recovery as a practice of the canoeists daily training, making a symbiosis between recovery and postural compensation at sportive and medical level.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82547
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Final_MIM_Nuno_Silva.pdf2.5 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

530
checked on Jun 9, 2021

Download(s) 50

485
checked on Jun 9, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons