Title: Cefaleias em urgência pediátrica : estudo prospectivo
Authors: Martins, João Daniel Barreira Rio Torto 
Keywords: Cefaleias.;Pediatria.;Urgência.;Etiologia
Issue Date: 2011
Abstract: Introdução: As cefaleias são queixas comuns em pediatria, ocorrendo em mais de 90% das crianças em idade escolar e sendo causa frequente de recorrência ao Serviço de Urgência (SU). A cefaleia pode ter etiologias bastante diversificadas, desde ansiedade inerente ao ambiente escolar e/ou familiar a condições passíveis de ameaçar a vida da criança. Objectivos: Pretendeu-se analisar as etiologias dos casos de cefaleia que recorrem ao SU do Hospital Pediátrico de Coimbra. Analisou-se a história pregressa e a orientação dada a essas crianças, nomeadamente no que diz respeito ao conhecimento da sua etiologia, abordagem diagnóstica e tratamento efectuado. Metodologia: Foram registados os números dos processos das crianças que, entre Abril e Setembro de 2010 recorreram ao SU por cefaleias. Foram então analisados, no que diz respeito a orientação clínica dada e seguimento deste grupo de crianças. As etiologias foram classificadas de acordo com os critérios da International Headache Society (IHS) . Resultados: Foram analisados os processos de 184 crianças, com idades compreendidas entre os 2 e os 16 anos (com uma média de idades de 8,1 anos). Da amostra faziam parte 98 rapazes (53%) e 86 raparigas (47%), o que correspondeu a 0,9% do número total de visitas ao Serviço de Urgência. As etiologias mais frequentemente encontradas foram infecções extracranianas, tais como infecções do tracto respiratório (32,6%) e gastroenterites (14,1%), cefaleias primárias (16,8%) e cefaleias com origem em patologia de ansiedade (5,4%). Etiologias de maior gravidade constituíram 2,7% dos casos, nomeadamente complicações associadas a Neurofibromatose (2), trombose jugular (1), malformações cerebrais (1) e infecções cranianas (1). Houve necessidade do recurso a exames complementares de diagnóstico em 38 crianças (21%), sendo que a tomografia axial computorizada foi utilizada 14 vezes (7,6%). Em 41 casos (22,3%) houve necessidade de orientação para consulta externa, tendo sido seguidas em consultas de especialidade. Em 12% dos casos não foi identificada uma etiologia específica, tendo o quadro clínico regredido, sem recorrências. Conclusão: Este estudo confirmou a existência de uma grande variedade de patologias associadas a quadros de cefaleias e de uma dificuldade significativa no diagnóstico diferencial entre causas primárias e secundárias da mesma. Existiu uma clara predominância das afecções extracranianas relativamente a uma pequena percentagem de alterações intracranianas de gravidade significativa. O recurso a neuroimagem foi efectuado numa pequena percentagem dos casos, significativamente menor que noutras séries, possivelmente revelando uma utilização racional e ponderada do mesmo.
Introduction: Headache is a common complaint in paediatrics, occurring in more than 90% of children in school age and a frequent cause of attendance to paediatric emergency department. Headache has a wide range of aetiologies, from anxiety associated to school and/or family environments, to life threatening conditions. Objectives: The aim of this study was to analyze the aetiology of headache in children attended in the emergency department of Hospital Pediátrico de Coimbra. The clinical history was reviewed, namely complementary tests applied and treatment options proposed, according to the aetiology Methods: Analysis of the clinical records and follow up of the children attended in the emergency department from April to September 2010 was performed. Patients were classified according to International Headache Society (IHS) criteria. Results: One hundred and eighty four children, aged 2 to 16 years (mean age: 8,1 years), had their clinical records analyzed. There were 98 boys (53%) and 86 girls (47%), 0,9% of the total number of visits. The most common aetiologies were non-cranial infections, particularly respiratory tract infections (32,6%) and gastroenteritis (14,1%), primary headaches (16,8%), and headaches attributed to somatisation disorders (5,4%). Life threatening situations constituted 2,7% of the total, such as complications associated to type 1 neurofibromatosis (2), jugular thrombosis (1), cerebral malformation (1) and intracranial infection (1). Biochemical and radiological tests were performed in 38 patients (21%). Head computed tomography scan was performed in 14 patients (7,6%). Forty one children (22,3%) were referred to specialized outpatient clinics. In 27,7% patients a specific aetiology was not identified, with a benign evolution being recorded. Conclusions: This study confirmed the wide range of pathologies that can cause headaches and the remarkable difficulty in the differential diagnosis between primary and secondary headaches. In the majority of the patients, headaches were secondary to non-cranial affections. Only a small percentage of children had life threatening intracranial disorders. Cerebral computed tomography scan was performed only in a few children, considerably less than in other series, possibly demonstrating a rational use of this test.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Pediatria, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/80757
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CEFALEIAS EM URGÊNCIA PEDIÁTRICA - ESTUDO PROSPECTIVO.pdf418.34 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.