Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/738
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorOliveira, Cristina Maria da Silva Robalo Cordeiro Sousa-
dc.date.accessioned2008-12-05T15:00:07Z-
dc.date.available2008-12-05T15:00:07Z-
dc.date.issued1991-12-05en_US
dc.identifier.citationOLIVEIRA, Cristina Robalo Cordeiro - Uma poética da mobilidade : Jules Supervielle. Coimbra, 1991.-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/738-
dc.descriptionTese de doutoramento em Letras (Lliteratura Francesa) apresentada à Fac. Letras da Univ. de Coimbra-
dc.description.abstractO estudo dos textos narrativos de Jules Supervielle, autor que se inscreve no panorama literário dos anos 30 e 40 de forma original, fugindo aos habituais parâmetros de categorização, revela a atracção exercida neste autor pela poética do evanescente. Com vista à abordagem global desta linha isotópica, propõem-se dois momentos distintos, mas complementares, de análise: no primeiro, proceder-se-á à avaliação de formas e de sinais textuais em que a incidência do parâmetro se faz sentir (Parte I); no segundo, dar-se-á conta dos seus sentidos mais profundos, transcendendo o nível imanente do texto, na procura de uma visão particular do homem e da escrita (Parte II). Na abordagem das formas e dos sinais, privilegiam-se os problemas atinentes às representações semânticas globais, com o intuito de evidenciar a estrutura temática do texto e os macro-signos que a suportam, operando quer ao nível da diegese, através do estudo das personagens (Capítulo I) e do espaço (Capítulo II), quer ao nível do discurso, através do estudo dos processos de textualidade e de intertextualidade nele postos em acção (Capítulo III). Evoluir-se-á assim de um nível transtópico, em que o texto é tomado nas suas grandes linhas de força temáticas e estruturais, a um nível tópico, imediato, onde a atenção incidirá no grão do texto, na sua tessitura interna mínima. Na segunda parte, e ultrapassando uma perspectiva de leitura que acompanhe, de uma forma imediata e imanente, a superfície do texto, procurar-se-ão os fundamentos pessoais de uma visão do homem (Capítulo I) e do mundo (Capítulo II), de um projecto estético e de uma concepção da criação literária (Capítulo III) que permitam dar consistência à edificação de um imaginário único e original. O percurso efectuado permitirá avaliar quanto, num espaço edificado sobre o valor da dispersão e do jogo ambíguo da descontinuidade e da analogia, a qualidade poética surge sempre na dependência das relações verbais, fonológicas ou semânticas, que constituem o tecido do texto.en_US
dc.language.isoporpor
dc.rightsembargoedAccesseng
dc.subjectLiteratura Francesaen_US
dc.subjectSupervielle, Jules, 1884-1960 -- Romances -- Crítica e interpretacão-
dc.titleUma poética da mobilidade : Jules Supervielleen_US
dc.typedoctoralThesisen_US
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
Appears in Collections:FLUC Secção de Línguas Românicas - Teses de Doutoramento
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s)

116
checked on Sep 11, 2019

Download(s) 20

837
checked on Sep 11, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.