Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/43483
Title: Consumo de cafeína por doentes com síndrome de apneia obstrutiva do sono
Authors: Pinheiro, Sara Maria Silva 
Orientador: Ribeiro, Carlos Alberto Fontes
Santos, Amândio Manuel Cupido dos
Keywords: Cafeína; Apneia obstrutivo do sono
Issue Date: Mar-2012
Abstract: Introdução: A síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS) está associada a uma disfunção cognitiva e a um aumento da incidência de doenças metabólicas e cardiovasculares. A cafeína é uma substância psicoactiva que produz efeitos estimulantes, de natureza ergogénica, aumentando a atenção e o desempenho em situações de fadiga nomeadamente de sonolência. Além disso, o consumo de cafeína está inversamente associado a patologias cardiovasculares e metabólicas. A interacção entre o consumo de cafeína e o SAOS poderá desenvolver-se de várias formas: o consumo de cafeína poderá diminuir o risco de desenvolvimento de SAOS através de efeitos lipolíticos, uma vez que o SAOS está fortemente relacionado com a obesidade ou pode actuar como auto-medicação nos efeitos psíquicos do SAOS, nomeadamente a sonolência e o défice neuro-cognitivo. Objectivo: O objectivo deste estudo é a avaliação dos hábitos de consumo de cafeína nos últimos vinte anos, numa população de doentes com SAOS, e a sua associação com parâmetros de gravidade e evolução da doença. Material e Métodos: Foram incluídos pacientes seguidos na consulta de patologia do sono dos Hospitais da Universidade de Coimbra, com SAOS diagnosticada através de estudo do sono. A avaliação dos hábitos de consumo de cafeína foi realizada através de um inquérito padronizado e validado, por via telefónica. Os dados clínicos, incluindo a patologia associada, o índice de massa corporal, sonolência e índice de apneia-hipopneia foram obtidos por consulta do processo clínico. Os dados demográficos e de consumo de cafeína foram ainda comparados com os dados de 49 indivíduos saudáveis já descritos num estudo prévio do nosso grupo. Resultados: Este estudo mostra que o consumo de cafeína não está relacionado nem com a gravidade nem com a evolução da SAOS, nem com os principais factores de risco associados a SAOS. Isto é reforçado pela observação que o consumo de cafeína é semelhante entre os indivíduos doentes e saudáveis. Conclusão: Conclui-se que o consumo de cafeína não influencia a evolução de SAOS. Isto significa que não se antevê nenhum benefício resultante do consumo de café mas significa também que o consumo de café não causa prejuízo nestes doentes pelo que o seu consumo pode ser aceite como seguro.
Abstract Introduction: Obstructive Sleep Apnea (OSA) is associated with a global cognitive disorder and an increase of the incidence of metabolic and cardiovascular diseases. Caffeine is the most widely consumed psychoactive substance and is known to restore low levels of wakefulness and to counteract degraded cognitive task performance due to sleep deprivation. Furthermore, the consumption of caffeine is inversely correlated with the incidence of both cardiovascular and metabolic dysfunction, which are risk factors for OSA. Thus, caffeine consumption might interfere with OSA either by decreasing the risk of developing OSA through lipolytic effects since OSA is strongly related with obesity, or by acting as self-medication to counteract drowsiness or cognitive deficits. Goal: The goal of this study is to evaluate if caffeine consumption in the 20 years previous to diagnosis, affects the incidence, severity and evolution of OSA. Material and Methodology: Patients were recruited at the sleep pathology consultation of Coimbra University Hospitals, based on their diagnosis of OSA by means of a sleep study. The evaluation of caffeine consumption was performed using a standardized and validated questionaire. Clinical data, including the associated pathology, body mass index, drowsiness and the hypopnea-apnea index was collected from the clinical records. The demographic and caffeine consumption were compared with data from 49 healthy individuals as described in a previous study from our group. Results: The data shows that caffeine consumption is not associated with the severity of evolution of OSA and is similar between OSA patients and controls. Conclusion: The present results indicate that caffeine consumption is not associated with the incidence, severity or evolution of OSA, therefore indicating that caffeine consumption can be tolerated in OSA patients.
Description: Trabalho final do 6º ano médico (Pneumologia), com vista à atribuição do Grau de Mestre no âmbito do ciclo de estudos de mestrado integrado em Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/43483
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho Final.pdf180.01 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

232
checked on Aug 12, 2020

Download(s) 50

407
checked on Aug 12, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.