Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31658
Title: Quality of life and psychological distress of middle-aged and older adults living with HIV
Authors: Monteiro, Fabiana Garcia 
Orientador: Canavarro, Maria Cristina
Keywords: Qualidade de vida; Infecção por VIH; Sofrimento psíquico
Issue Date: 2015
Serial title, monograph or event: Quality of life and psychological distress of middle-aged and older adults living with HIV
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: The general aim of this dissertation was to assess the quality of life (QoL) and psychological distress of middle-aged and older patients living with HIV infection. To address this general aim, two studies were conducted. The aims of the first study were to examine the age-related differences in QoL and depressive symptoms of patients with HIV as well as the sociodemographic, HIV-related and psychological factors associated with QoL domains. In the second study, the aims were to examine the prevalence and correlates of psychological distress among older women living with HIV, in comparison to their male counterparts and younger women, and to identify the sociodemographic and disease-related factors associated with psychological distress. The sample consisted of HIV-infected patients who were recruited within a wider research project about quality of life and mental health of patients living with HIV in Portugal. The assessment protocol included the QoL measure WHOQOL-HIV-Bref, the Beck Depression Inventory (BDI) and the Brief Symptom Inventory (BSI). In the first study, middle-aged and older patients reported significantly lower QoL in the physical, independence and social relationships domains. Overall, among middle-aged and older patients, higher education, being employed, a shorter time since HIV diagnosis, use of antiretroviral therapy, and fewer depressive symptoms were significantly associated with higher QoL ratings. Among younger patients, the factors more consistently related to better QoL were higher education, being employed, not having other coinfections and reporting fewer depressive symptoms. In the second study, younger women reported significantly higher psychological distress than middle-aged and older men. A greater proportion of younger women met caseness for interpersonal sensitivity, hostility and paranoid ideation than older men. Younger women were 2.67 (95% CI: 1.22-5.84) times more likely to report psychological distress than older men. Middle-aged and older women did not differ substantially from younger women and middle-aged and older men in psychological distress. Because an important feature of healthy ageing is maintaining QoL, these data may provide useful information for tailoring age-appropriate and effective interventions to improve the mental health and to promote the QoL across multiple domains of middle-aged and older patients with HIV. Our findings also reinforce the need of mental health interventions that reflect individuals’ circumstances as well as developmental contexts. Moreover, they draw attention to the importance of examining resilience characteristics in older adults to understand the mechanisms behind “successful aging” while living with HIV.
O objetivo geral desta dissertação consistiu em avaliar a qualidade de vida (QdV) e distress psicológico de doentes de meia-idade e idosos que vivem com o VIH. Neste sentido, foram realizados dois estudos. O primeiro teve como objetivos analisar as diferenças relacionadas com a idade na QdV e sintomas depressivos de doentes com o VIH, assim como os fatores sociodemográficos, clínicos (relacionados com o VIH) e psicológicos associados aos domínios da QdV. Os objetivos do segundo estudo foram analisar a prevalência e correlatos de distress psicológico em mulheres com mais de 50 anos com o VIH, comparativamente aos homens do mesmo grupo etário e a mulheres mais novas, assim como identificar os fatores sociodemográficos e relacionados com a doença associados com o distress psicológico. A amostra foi composta por doentes recrutados no âmbito de um projeto mais amplo acerca da QdV e saúde mental de doentes infetados por VIH em Portugal. O protocolo de avaliação incluiu a medida da QdV, WHOQOLHIV- Bref, o Inventário de Depressão de Beck (BDI) e o Inventário de Sintomas Psicopatológicos (BSI). No primeiro estudo, os doentes mais velhos reportaram uma QdV significativamente mais baixa nos domínios físico, nível de independência e relações sociais. De forma geral, quando considerando os doentes mais velhos, ter um nível de educação mais elevado, estar empregado, ter sido diagnosticado com VIH há menos tempo, estar em terapêutica antiretroviral e ter menos sintomas depressivos estava associado, de forma significativa, com uma melhor QdV. No que respeita aos doentes com menos de 50 anos, os fatores associados a melhor QdV foram uma melhor educação, estar empregado, não ter outras co-infeções e reportar menos sintomas depressivos. No segundo estudo, as mulheres mais velhas reportaram um distress psicológico significativamente maior que os homens mais velhos. Uma maior proporção de mulheres mais novas apresentou caseness para sensibilidade interpessoal, hostilidade e ideação paranóide que os homens mais velhos. Os resultados mostraram que as mulheres mais novas tinham uma probabilidade 2.67 (95% CI: 1.22-5.84) maior de reportar distress psicológico que os homens mais velhos. As mulheres com mais de 50 anos não diferiram significativamente dos restantes dois grupos em termos de distress psicológico. Uma vez que um aspeto importante do envelhecimento saudável se relaciona com a manutenção da QdV, estes resultados podem fornecer informação útil para o desenvolvimento de intervenções eficazes, adequadas à idade, de forma a melhorar a saúde mental e promover a QdV dos doentes de meiaidade e idosos em múltiplos domínios. Os nossos resultados reforçam ainda a necessidade das intervenções direcionadas para a saúde mental refletirem as circunstâncias individuais, assim como os contextos de desenvolvimento. Para além disso, chamam a atenção para a importância de examinar características de resiliência em adultos mais velhos por forma a entender os mecanismos subjacentes ao “envelhecimento bem-sucedido” enquanto doentes infetados com o VIH.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde (Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas da Saúde) apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/31658
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Fabiana Monteiro.pdf357.4 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

524
checked on Dec 4, 2019

Download(s) 50

195
checked on Dec 4, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.