Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29713
Title: Satisfação profissional nas UCC da ARS Centro
Authors: Henriques, Catarina Amaral Gerardo 
Orientador: Ferreira, Pedro Lopes
Keywords: Satisfação profissional; Serviço Nacional de Saúde; Cuidados de saúde primários; Unidades de cuidados na comunidade
Issue Date: 21-Jul-2015
Publisher: FEUC
Citation: Henriques, Catarina Amaral Gerardo - Satisfação profissional nas UCC da ARS Centro, Coimbra, 2015.
Abstract: A satisfação profissional, nos últimos tempos, tem sido condição importante para melhorar o funcionamento das empresas e demais organizações. Obter dividendos ao nível da criatividade, empenho e produtividade dos trabalhadores, são os objetivos que atualmente os gestores devem ter em conta para iniciar estratégias que promovam o aumento da satisfação laboral dos mesmos. Assim, e perante esta perspetiva, o presente estudo tem como objetivo geral conhecer os níveis de satisfação dos profissionais que constituem as equipas multidisciplinares das Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). Para além disso, pretende-se também, compreender a relação entre: a satisfação profissional e os fatores sociodemográficos, organizacionais e a satisfação global. Relaciona-se, ainda, esta última com a categoria profissional, com o relacionamento entre equipas, o coordenador e o vencimento. As características/tipo deste estudo são: descritivo porque descreve, clarifica e interpreta resultados; analítico porque para além de descrever algumas características pessoais e profissionais, analisa a relação destas com as associações consideradas hipóteses de relação causal; transversal porque verifica a relação de variáveis tal como elas existem num momento particular de tempo; e correlacional porque analisa a natureza das relações que existem entre determinadas variáveis. Para a realização do estudo, recorremos a uma metodologia de cariz misto, quantitativo e qualitativo, e para a recolha de dados foi utilizado o Instrumento de Avaliação de Satisfação Profissional (IASP), desenvolvido pelo Centro de Estudos e Investigação em Saúde da Universidade de Coimbra (CEISUC), com preenchimento online. Para o tratamento dos dados utilizou-se a aplicação informática Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) na versão 22.1. A amostra ficou constituída por 305 profissionais, que exercem funções nas UCC da ARS Centro, o que traduz uma taxa de resposta de 62,4%. Estes estão distribuídos por várias categorias profissionais, sendo os enfermeiros, o grupo que apresenta a maior percentagem global (55,4%). A amostra é maioritariamente do sexo feminino (83,9%) e o nível médio de satisfação profissional encontrado foi de 71,1%. A satisfação com a qualidade da UCC como local de trabalho foi de 66,6%; com a qualidade na prestação de cuidados foi de 78,6% e com a melhoria contínua da qualidade de 81%. Para nenhuma das dimensões do IASP foram encontradas diferenças estatisticamente significativas em relação ao sexo, contudo, os profissionais do sexo masculino manifestaram-se mais satisfeitos do que os do sexo feminino. Em relação à idade, os profissionais mais velhos (55-64 anos) estão mais satisfeitos na subescala “Politica de recursos humanos” e na faceta “Vencimentos”, enquanto que os mais novos (35-44 anos), estão mais satisfeitos na faceta “Órgãos de direção e politica”. No que diz respeito à profissão, todos os profissionais exceto os enfermeiros apresentam uma média de satisfação mais alta em relação à faceta “coordenação”, contudo, em relação aos vencimentos, estes profissionais apresentam-se menos satisfeitos do que os enfermeiros. Em termos de satisfação global, os profissionais que responderam afirmativamente às perguntas sobre: recomendar a UCC a amigos e/ou familiares; recorrer o próprio à UCC; e se escolheria de novo a UCC para trabalhar se pudesse voltar atrás, apresentam-se mais satisfeitos do que aqueles que responderam de forma negativa. O modelo que melhor representa a satisfação profissional é o que relaciona esta com a satisfação com o coordenador, com o trabalho em equipa e com o vencimento. A subescala “Recursos Tecnológicos e Financeiros” foi a que obteve menor nível de satisfação devido, sobretudo, ao desagrado manifestado com os vencimentos. Em relação às sugestões dadas pelos profissionais, é recomendado um maior investimento dos órgãos de gestão dos ACeS na melhoria dos equipamentos e instalações, assim como no melhoramento das relações com o pessoal a desempenhar funções nas UCC. É referido, ainda, a necessidade de aumento dos recursos humanos, a atribuição de incentivos e o reconhecimento dos profissionais e dos projetos desenvolvidos nestas unidades. Destaca-se a importância da monitorização periódica do nível de satisfação profissional.
Description: Dissertação de mestrado em Gestão e Economia da Saúde, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Pedro Lopes Ferreira.
URI: http://hdl.handle.net/10316/29713
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
FINALL.pdf2.83 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

427
checked on Nov 13, 2019

Download(s) 50

380
checked on Nov 13, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.