Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27244
Title: Poderes e Deveres de Notário e Conservador na Cognição de Direito Estrangeiro
Authors: Patrão, Afonso 
Keywords: Direito Internacional Privado; Actividade Notarial; Actividade Registal; Conflitos de Leis; Cognição Direito Estrangeiro
Issue Date: 2014
Serial title, monograph or event: Cadernos do CENoR — Centro de Estudos de Direito Notarial e Registal
Volume: n.º 2
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O presente estudo aborda o problema de saber se o regime de cognição do direito estrangeiro consagrado na lei civil para os Tribunais (que determina a busca ex officio do conteúdo da lei estrangeira aplicável) vincula Notário e Conservador. Na verdade, as normas legais reguladoras desta questão mencionam apenas o Tribunal e há argumentos de natureza pragmática que tendem à exclusão destas autoridades das obrigações cometidas ao Juiz. Neste artigo, com excepção dos casos onde a lei crie soluções especiais, sustenta-se a sujeição de Notário e Conservador ao regime de cognição do direito estrangeiro que vincula os tribunais, não apenas por se considerarem improcedentes os argumentos em sentido contrário mas igualmente pelo entendimento de que o papel cometido a Notário e Conservador depende da vigência de critérios de decisão idênticos aos que cabem ao Juiz.
URI: http://hdl.handle.net/10316/27244
Rights: openAccess
Appears in Collections:FDUC- Artigos em Revistas Nacionais

Show full item record

Page view(s) 20

561
checked on Sep 18, 2019

Download(s) 10

1,063
checked on Sep 18, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.