Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26430
Title: Fotossensibilizadores para terapia e imagem em oncologia
Authors: Cândido, Mafalda 
Orientador: Botelho, Maria
Serra, Arménio
Issue Date: 16-Dec-2014
Citation: CÂNDIDO, Mafalda Sofia Laranjo - Fotossensibilizadores para terapia e imagem em oncologia. Coimbra : [s.n.], 2014. Tese de doutoramento. Disponível na WWW em:<http://hdl.handle.net/10316/26430>
Abstract: A terapia fotodinâmica (PDT, do inglês, photodynamic therapy) é uma terapêutica que depende da administração de um fotossensibilizador que, por si só, não tem efeito farmacológico, e da sua posterior ativação por irradiação, com luz visível de comprimento de onda adequado do local a tratar. Como consequência da fotoativação do fotossensibilizador, ocorre produção de espécies reativas de oxigénio (ROS, do inglês, reactive oxygen species) que determinam a morte celular. Pelo seu modo de ação, a PDT está associada a poucos efeitos secundários. Esta reduzida manifestação de efeitos secundários, deve-se não só ao facto do efeito citotóxico ocorrer apenas no local de ativação pela luz, mas também devido ao local de acumulação ser principalmente o tumor, dado que os fotossensibilizadores tipicamente se acumulam nas células tumorais, pelo que a PDT apresenta elevada seletividade. No contexto clínico, a PDT é utilizada em oftalmologia, em dermatologia e também em oncologia. No entanto, a sua utilização no tratamento de cancro mantem-se limitada, possivelmente, devido ao baixo número de fármacos aprovados e também ao baixo número de aprovações para terapêutica oncológica. Este trabalho teve como objetivo principal desenvolver novos fotossensibilizadores para PDT. Pretendeu-se desenvolver um fotossensibilizador com elevado potencial terapêutico, caracteriza-lo do ponto de vista fotoquímico, verificar o seu efeito fotodinâmico em várias linhas celulares tumorais, contribuir para esclarecer as suas vias moleculares de atuação e estudar o seu potencial terapêutico in vivo e biodistribuição. Paralelamente, pretendeu-se desenvolver outro fotossensibilizador passível de ser complexado com tecnécio-99 metastável (99mTc), otimizar um procedimento de marcação simples e reprodutível e estudar a biodistribuição do complexo. Esta vertente, de associação da PDT à medicina nuclear, pode proporcionar a maximização do efeito terapêutico pela identificação do momento de captação máxima pelo tumor.Para a concretização destes objetivos utilizaram-se diversas metodologias desde a síntese química, estudos in vitro, em que se recorreu a diversas metodologias das quais são exemplo, a microscopia confocal, a citometria de fluxo, o western blot e marcação radioativa e a microcromatografia ascendente em camada fina, até aos estudos in vivo. Foi possível sintetizar o fotossensibilizador BBr2HPC, com caraterísticas fotoquímicas adequadas à utilização em terapêutica, nomeadamente, uma banda com elevada absorção a 645 nm. O valor de IC50 deste fotossensibilizador nas linhas celulares humanas de carcinoma colorretal, carcinoma do esófago e melanoma melanocítico foi na ordem de nanomolar, o que aponta para um efeito terapêutico promissor. Verificou-se que o fotossensibilizador BBr2HPC é captado pelas células de carcinoma colorretal e de carcinoma do esófago e que se acumula nas mitocôndrias, nos lisossomas e no retículo endoplasmático, mas não penetra no núcleo celular. Após a fotossensibilização verificou-se que o tipo de morte celular ativado, apoptose ou necrose, é influenciado pela concentração do fotossensibilizador e tipo de célula tumoral. Várias ROS estão implicadas no efeito fotodinâmico do fotossensibilizador BBr2HPC e os mecanismos citoprotetores não parecem ser suficientes para inibir os danos celulares. Os estudos in vivo comprovaram o efeito terapêutico significativo do tratamento fotodinâmico, baseado no fotossensibilizador BBr2HPC, particularmente quando administrada uma concentração de 2 mg/kg e irradiação após 24 horas, em que se observaram casos de resposta patológica completa. A eliminação deste fotossensibilizador é hepatobiliar e urinária e o tempo de eliminação aponta para um perfil de segurança favorável numa fase pré-clínica. Na perspetiva do desenvolvimento de um fotossensibilizador com propriedades adequadas à aplicação diagnóstica, sintetizou-se e caracterizou-se o 2CPP. Este fotossensibilizador foi caracterizado e complexado com 99mTc, após o desenvolvimento de uma metodologia de marcação radioquímica simples e reprodutível que permitiu obter uma formulação com uma eficiência de marcação superior a 92%, estável no tempo in vitro e em soro sanguíneo humano. Este fotossensibilizador, também apresenta um perfil de eliminação hepatobiliar e urinário e apresenta potencial para estudos de imagem. Com este trabalho, foi possível concretizar o objetivo de desenvolver um fotossensibilizador com intuito terapêutico, caracterizar as suas vias subcelulares de atuação e verificar o seu desempenho pré-clínico que se revelou extremamente promissor. Paralelamente, a utilização de fotossensibilizadores complexados com radioisótopos constituiu uma abordagem de medicina personalizada em PDT, através da medicina nuclear, com potencialidade teranóstica e de seguimento.
Description: Tese de doutoramento em Ciências da Saúde (Pré-Bolonha), Ramo de Ciências Biomédicas, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/26430
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Fotossensibilizadores para terapia e imagem em oncologia.pdf6.15 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,691
checked on Sep 14, 2022

Download(s) 20

1,270
checked on Sep 14, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.