Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26314
Title: A Eficácia de um Programa de Intervenção Parental para Pré-escolares com Comportamentos de Oposição:O Programa Anos Incríveis
Authors: Homem, Tatiana Mota Fernandes Carvalho 
Orientador: Gaspar, Maria Filomena
Canavarro, Maria Cristina
Keywords: Intervenção parental; Programa básico para pais "Anos Incríveis"; Estudo longitudinal; Idade pré‐escolar; Comportamentos de oposição/desafio
Issue Date: 17-Dec-2014
Citation: HOMEM, Tatiana Mota Fernandes Carvalho - A eficácia de um programa de intervenção parental para pré-escolares com comportamentos de oposição : o programa "Anos Incríveis". Coimbra : [s.n.], 2014. Tese de doutoramento. Disponível na WWW em:<http://hdl.handle.net/10316/26314>
Abstract: Enquadramento: Ao longo dos últimos 30 anos, a investigação tem mostrado os benefícios do apoio estruturado às famílias/aos pais de crianças com problemas de comportamento e, nomeadamente, com Perturbação de Oposição/Desafio, identificando o papel central que as práticas educativas parentais desempenham no desenvolvimento infantil ajustado. Ancorada numa perspetiva desenvolvimental e ecológica, a presente investigação centrou-se na avaliação da eficácia, a curto e a médio-prazos, de um programa de intervenção parental, o Programa Básico para Pais Anos Incríveis, numa amostra de famílias portuguesas com crianças em idade pré-escolar com comportamentos de oposição/desafio. Dada a escassez de estudos acerca do impacto deste programa com a figura paterna, procurámos avaliar o impacto do programa não apenas com a mãe, mas também com o pai. Finalmente, e uma vez que a literatura aponta para a importância do recurso a múltiplos informadores na deteção e intervenção precoce dos problemas de comportamento, foi também objetivo deste trabalho analisar o grau de acordo e discrepâncias entre diferentes informadores do mesmo contexto (pai e mãe) e entre informadores de contextos diferentes (mãe/professor; pai/professor), relativamente aos problemas de comportamento da criança. Metodologia: Esta investigação assentou num desenho prospetivo longitudinal, com diferentes momentos de avaliação; três momentos de avaliação para as famílias do grupo de intervenção, GI [avaliação realizada antes do início da intervenção (linha de base; T1); avaliação realizada imediatamente após o final do grupo (seis meses após a avaliação inicial; T2); e, finalmente, avaliação 12 meses após a avaliação inicial (T3); e dois momentos de avaliação para as famílias do grupo de controlo, GC [avaliação realizada antes do início da intervenção (linha de base; T1); avaliação realizada seis meses após a avaliação inicial (T2)]. Ao grupo de controlo, por razões éticas, foi oferecida intervenção depois do segundo momento de avaliação. Participaram neste estudo 101 famílias (55 famílias no GE e 46 famílias o GC), com crianças entre os 3 e os 6 anos de idade, de contextos clínicos ou da comunidade. Estas famílias faziam parte da amostra mais alargada de um estudo experimental. Para além dos dados sociodemográficos e clínicos iniciais, foi também recolhida informação relativa às práticas parentais da mãe e do pai e à sua perceção de competência parental. Foram ainda recolhidos indicadores de adaptação individual (sintomatologia depressiva) e conjugal (intimidade conjugal), bem como informação relativa aos problemas de comportamento da criança e dados de satisfação com a intervenção realizada. A avaliação incluiu multi-informadores (pais, educadores de infância, avaliador independente) e recorreu a diferentes métodos (medidas de autorrelato e heterorrelato, entrevista, observação direta) assim como medidas de satisfação dos participantes. O programa foi implementado ao longo de 14 sessões com uma duração aproximada de 2 horas cada, em grupos de 9 a 12 pais, dinamizadas por dois facilitadores com formação específica no programa e experiência prévia na sua aplicação. Resultados: Destacamos os seguintes resultados: i) relativamente aos problemas de comportamento das crianças, a mãe e o pai apresentam um grau moderado a elevado de acordo entre si, enquanto que o grau de acordo entre pais e professores é baixo; ii) no entanto, as mães percecionam os filhos como exibindo mais comportamentos negativos do que os pais-homens e do que os professores; iii) na avaliação realizada com as mães, seis meses após a linha de base (T2), as práticas parentais positivas do grupo de intervenção melhoraram significativamente mais do que as do grupo de controlo (quer na tarefa de observação, quer nas medidas de autorrelato) e as mães do grupo de intervenção revelaram uma maior Abertura ao Exterior, comparativamente com as mães do grupo de controlo; iv) da mesma forma, na avaliação realizada seis meses após a linha de base, verificou-se uma diminuição significativa dos relatos das mães que receberam intervenção de comportamentos de Oposição/Desafio nas crianças, em comparação com as mães das crianças do grupo de controlo; v) as modificações observadas nas mães do grupo de intervenção mantiveram-se estáveis na avaliação a 12 meses (T3), exceto no que diz respeito às competências de coaching observadas; vi) na avaliação realizada com os pais-homens, seis meses após a linha de base (T2), as práticas parentais positivas do grupo de intervenção melhoraram significativamente mais do que as do grupo de controlo, o mesmo acontecendo com o impacto dos comportamentos negativos da criança no sistema familiar (menor impacto no GI que no GC); vii) foram ainda encontradas diferenças significativas entre os dois grupos relativamente às competências pró-sociais, tendo os pais-homens do grupo de intervenção reportado um aumento significativamente maior destas competências nas crianças, do que os pais-homens do grupo de controlo; viii) Aos 12 meses (T3) de follow-up estes resultados mantiveram-se estáveis; ix) finalmente, mães e pais do GI revelaram elevada adesão, satisfação e aceitação, face ao programa. Conclusões: Os resultados desta investigação apontam para os efeitos positivos do Programa Básico para Pais Anos Incríveis a curto e a médio-prazos, com famílias de crianças com comportamentos de oposição/desafio. A utilização de práticas parentais mais positivas e menos disfuncionais por ambos os progenitores, bem como a perceção pela mãe de uma maior abertura ao exterior e a diminuição o impacto dos comportamentos negativos da criança no sistema familiar percecionados pelos pais-homens, são resultados sugestivos da eficácia deste Programa junto de famílias portuguesas com crianças com comportamentos de oposição/desafio. Paralelamente, a perceção por parte de ambos os progenitores, de uma redução de comportamentos opositivos nas crianças e o aumento de competências pró-sociais percecionadas pela figura paterna, são também resultados importantes e indicadores do impacto positivo deste Programa no comportamento das crianças. Os resultados aqui apresentados sugerem assim, de forma preliminar, que o Programa Básico para Pais Anos Incríveis pode ser uma ferramenta importante para os profissionais que trabalham com famílias com crianças pré-escolares com problemas de comportamento, ajudando-os a contribuir para o fortalecimento das relações pais-filhos e para a prevenção de trajetórias de vida desviantes. Palavras-chave: Intervenção parental, Programa Básico para pais Anos Incríveis, estudo longitudinal, idade pré-escolar, comportamentos de oposição/desafio
Description: Tese de doutoramento em Psicologia, Especialidade em Psicologia Clínica, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/26314
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
A Eficácia de um Programa de Intervenção Parental para Pré-escolares.pdf2.29 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,037
checked on Dec 11, 2019

Download(s) 10

1,978
checked on Dec 11, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.