Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25856
Title: Atitudes e Comportamentos Alimentares numa população adolescente: o papel do Perfecionismo
Authors: Bento Teixeira, Maria Del Carmen 
Orientador: Macedo, António
Saraiva, Jorge
Pereira, Ana Telma
Keywords: Atitudes e comportamentos alimentares; Perfecionismo; Insatisfação corporal; Autoestima
Issue Date: 4-Mar-2015
Citation: TEIXEIRA, Maria Del Carmen Bento - Atitudes e comportamentos alimentares numa população adolescente : o papel do perfecionismo. Coimbra : 8s.n.], 2014. Tese de doutoramento. Disponível na WWW em: <http://hdl.handle.net/10316/25856>
Abstract: RESUMO Introdução: São poucos os estudos que, no nosso país, tenham investigado, em simultâneo, o papel de fatores de risco no desenvolvimento de Distúrbios do Comportamento Alimentar (DCA) em adolescentes. O nosso objetivo foi analisar a associação de vários fatores de risco associados ao desenvolvimento dos Distúrbios do Comportamento Alimentar, nomeadamente o Índice de Massa Corporal, a Imagem Corporal, o Perfecionismo a Autoestima e a Sintomatologia Depressiva. Analisar os efeitos de uma sessão psicoeducacional sobre o Perfecionismo nas Atitudes e Comportamentos Alimentares, transcorridos 2 meses e 6 meses após a intervenção. Metodologia: 997 adolescentes de quatro escolas secundárias de Coimbra, preencheram um questionário constituído por quatro escalas: o Teste de Atitudes Alimentares para Crianças (Children Eating Attitudes Test); a Escala de Perfecionismo para Crianças e Adolescentes (Child and Adolescent Perfectionism Scale); a Escala de Depressão Infantil (Children Depression Inventory); a Escala de silhuetas corporais (Contour Drawing Figure Rating Scale); a Escala de Auto- estima de Rosemberg (Rosemberg Self Esteem Scale), questões sociodemográficas e outras como o peso e altura. As quatro escolas formaram 3 grupos: I – Grupo Intervenção onde foi focado principalmente o Perfecionismo (DM), II- Grupo Controlo 1 – onde foram focados principalmente os hábitos de vida saudavel, (QF); III - Grupo Sem intervenção - (AB e JF). Em dois momentos distintos, 2 e 6 meses depois, todos os participantes voltaram a preencher os questionários. Nas análises estatísticas recorremos à versão 20.0 do SPSS para Windows. Resultados: A amostra foi constituída por 576 raparigas e 402 rapazes com idade média=15.77 anos (DP=1.560; variação=11-18 anos). O índice de massa corporal foi de 20.43 kg/m2 nas raparigas e 21.18 Kg/m2 nos rapazes. 18,1% das adolescentes do sexo feminino e 5% dos adolescentes do sexo masculino apresentaram valores elevados no Teste de Atitudes Alimentares para crianças (TAAc). O grau de insatisfação corporal foi significativamente mais elevado no sexo feminino. No sexo feminino verificamos que, a Autoestima foi mais baixa e a sintomatologia depressiva mais elevada, quando comparadas com o sexo masculino. As pontuações médias no Teste de Atitudes Alimentares para crianças se correlacionaram positiva e significativamente com o Índice de Massa Corporal (IMC), com o Perfecionismo Auto-orientado e Socialmente Prescrito e a Sintomatologia Depressiva; e negativamente com a Insatisfação corporal e a Autoestima. Foram observadas diferenças significativas entre os grupos de adolescentes do sexo feminino com pontuações elevadas no TAAc quando comparadas com as adolescentes com pontuações baixas, em relação ao Índice de Massa Corporal, ao Perfecionismo Auto-orientado e Socialmente Prescrito, a Insatisfação corporal, a Autoestima e a Sintomatologia Depressiva. O Perfecionismo Auto-orientado, a Insatisfação Corporal, a Autoestima e a sintomatologia depressiva foram preditores significativos do TAAc e da dimensão Medo de Engordar no início do estudo. O IMC a Insatisfação Corporal e a sintomatologia depressiva também foram preditores da dimensão Pressão Social para Comer neste primeiro tempo. Após a sessão psicoeducacional ocorreu uma diminuição do Perfecionismo Auto-orientado nos rapazes e nas raparigas com pontuações baixas do TAAc na escola de intervenção desde o início do estudo para a segunda avaliação após a intervenção. Ocorreu uma diminuição do TAAc e suas dimensões desde o início do estudo para a segunda avaliação após a intervenção e um aumento posterior, em todas as escolas. Não houve alterações ao longo do tempo nas adolescentes do sexo feminino que apresentaram valores elevados no TAAc no início do estudo. Nas adolescentes da escola de intervenção com pontuações baixas ocorreu uma diminuição significativa no TAAc e a dimensão ME do início do estudo e um aumento posterior para a última avaliação. Em toda a população estudada ocorreu uma diminuição ao longo do tempo nas pontuações médias da Sintomatologia Depressiva. A Insatisfação Corporal manteve-se ao longo do tempo. No fim do estudo verificamos um aumento na proporção de rapazes com TAAc elevado. Discussão e Conclusões: Apesar de terem sido encontradas várias associações significativas, nas análises exploratórias, entre diferentes fatores de risco (FRs) e o outcome, a sessão psioceducacional não revelou efeitos a nível do TAAc e suas dimensões. No entanto verificámos uma alteração a nível do P na escola de intervenção. Constatamos que a IC foi o fator preditor que se manteve presente ao longo do tempo do estudo. São necessários mais estudos a nível dos vários FRs do DCA, utilizando outras forma de intervenção.
ABSTRACT Introduction: To our knowledge there are no studies that, in our country, that have investigated simultaneously the role of multiple risk factors in the development of eating disorders (ED) in adolescents. The objectives were to analyze the association of various risk factors associated with the development of ED, including Body Mass Index, Body Image, Self-Esteem, Perfectionism, Depressive Symptomatology, and the effects of a psychoeducational session about Perfectionism in the Eating Attitudes and Behaviors at 2 months and 6 months after the intervention. Methods: 997 adolescents from four secondary schools in Coimbra, completed a set of self-report questionnaires including the Eating Attitudes Test for Children (ChEAT); the Child and Adolescent Perfectionism Scale, the Children Depression Inventory; the Contour Drawing Figure Rating Scale, the Rosenberg Self esteem scale. Socio demographic and other variables such as weight and height were also assessed. Students from the four schools formed 3 groups: I – Intervention: educational session perfectionism-focused ( DM ) , Control Group II - 1 - educational session: healthy life habits-focused (QF) III - Group with no intervention - ( AB and JF ). At two different times, 2 and 6 months later, participants completed all the questionnaires again. SPSS version 20.0 for Windows was used for statistical analyses. Results: The sample consisted of 576 girls and 402 boys, mean age = 15.77 years (SD = 1.560, range = 11-18 years). Body mass index ((BMI) was 20.43 kg/m2 and 21.18 kg/m2 , respectively in girls and boys. 18.1% of adolescent females and 5 % of male adolescents had higher scores on the Children`s Eating Attitudes Test. The degree of body dissatisfaction was significantly higher in females. Compared to males, females had lower Self Esteem and higher Depressive Symptomatology. The mean scores on the ChEAT was correlated with BMI, with Self-oriented Perfectionism (SOP) and Socially Prescribed Perfectionism (SPP) and Depressive Symptomatology, and negatively correlated with Body Dissatisfaction and Self-Esteem. Significant differences were observed between groups of female adolescents with high scores in ChEAT when compared to adolescents with low scores; in relation to BMI, SOP, SPP, body dissatisfaction, self-esteem and Depressive Symptomatology. SOP, Body Dissatisfaction, Self-esteem and Depressive Symptomatology were significant predictors of ChEAT and fear of getting fat dimension at baseline. The BMI, Body Dissatisfaction and Depressive Symptomatology were significant predictors of Social Pressure to Eat dimension. Two months after the psychoeducational session was delivered in the intervention`s school, a significant decrease was observed in SOP in boys and girls with low scores from baseline to post session assessment. A decrease in the Total ChEAT and its dimensions was also observed at the second assessment after the intervention and a subsequent increase in all schools. There were no changes over time in adolescent females that showed elevated levels in ChEAT at baseline. Students from the intervention`s school, with ChEAT low scores had a significant decrease in the Total ChEAT and ME after the session and a subsequent increase in the last assessment. All the studied population decreased the mean scores of depressive symptomatology over time. Body dissatisfaction was maintained over time. At the end of the study we saw an increase in the proportion of boys with high ChEAT. Discussion and Conclusions: Although several significant associations were found in the exploratory analyzes between different FRs and the outcomes, the psychoeducational session revealed no effect on the Total ChEAT and its dimensions. However, a significant change in perfectionism levels in the intervention`s school was observed. We found that the Body Dissatisfaction was the predictor that remained present throughout the study period. Further studies on the various FRs of DCA are needed using other form of intervention.
Description: Tese de doutoramento em Ciências da Saúde (Pré-Bolonha), Ramo de Medicina, especialidade de Clínica Pediátrica (Pediatria), apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/25856
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Atitudes e comportamentos alimentares numa população adolescente.pdf13.7 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

924
checked on Oct 1, 2020

Download(s) 10

1,217
checked on Oct 1, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.