Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/21264
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorNazaré, Bárbara-
dc.contributor.authorFonseca, Ana-
dc.contributor.authorCanavarro, Maria Cristina-
dc.date.accessioned2012-11-29T12:09:56Z-
dc.date.available2012-11-29T12:09:56Z-
dc.date.issued2011-
dc.identifier.issn978-989-96103-5-4-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/21264-
dc.description.abstractUma gravidez subsequente a uma perda gestacional é influenciada pela experiência prévia, resultando em sintomas ansiosos e depressivos mais intensos, em comparação com os casais sem história de perda. Embora a nova gravidez possa contribuir para a diminuição das manifestações de luto pela perda anterior, este processo não termina com a ocorrência de uma gestação subsequente, podendo comprometer a adaptação dos casais. Neste contexto, as mulheres tendem a manifestar sintomas mais intensos, presumivelmente devido à maior ligação que tinham estabelecido com o bebé que perderam. No presente trabalho, o objectivo consistiu em estudar a associação entre luto perinatal, psicossintomatologia (depressão e ansiedade) e qualidade de vida (geral e nos domínios físico, psicológico e relações sociais) durante uma gravidez subsequente a uma interrupção médica, considerando separadamente a vivência de homens e mulheres. A amostra foi composta por 36 participantes (19 mulheres e 17 homens), avaliados aproximadamente às 19 semanas de gestação. Embora se tenham verificado associações significativas entre luto perinatal e qualidade de vida para ambos os géneros, foram identificadas especificidades relevantes. A associação entre luto perinatal e psicossintomatologia só se revelou significativa para as mulheres. Estes dados sustentam a importância da intervenção psicológica ao longo de uma gravidez após uma perda, de forma a promover a adaptação do casal e, simultaneamente, o bem-estar do bebé. É também clinicamente relevante atender às diferenças de género identificadas nesta vivência.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUNIESEP – Núcleo de Investigação em Saúde e Qualidade de Vida da Escolapor
dc.rightsopenAccesspor
dc.titleGravidez subsequente a uma interrupção médica: Especificidades de género na relação entre luto perinatal, psicossintomatologia e qualidade de vidapor
dc.typeconferenceObjectpor
degois.publication.firstPage149por
degois.publication.lastPage154por
degois.publication.locationPortopor
dc.peerreviewedYespor
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
Appears in Collections:FPCEUC - Artigos em Livros de Actas
I&D CINEICC - Artigos e Resumos em Livros de Actas
Files in This Item:
File Description SizeFormat
2011 Gravidez subsequente a uma interrupção médica.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 10

730
checked on Jan 22, 2020

Download(s) 50

170
checked on Jan 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.