Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/20682
Title: Adesão à HAART, qualidade de vida e sintomatologia psicopatológica em doentes infectados pelo VIH/SIDA
Authors: Margalho, Renata 
Pereira, Marco 
Ouakinin, Sílvia 
Canavarro, Maria Cristina 
Keywords: Adesão à HAART; Qualidade de vida; Psicopatologia; VIH/SIDA
Issue Date: 2011
Publisher: Ordem dos Médicos
Serial title, monograph or event: Acta Médica Portuguesa
Volume: 24
Abstract: Objectivos: A adesão à terapêutica anti-retroviral de alta eficácia (HAART) é fundamental para o sucesso terapêutico, e uma melhor qualidade de vida (QdV) e saúde mental têm sido reconhecidas como importantes resultados do tratamento anti-retroviral. No entanto, poucos estudos têm associado estas dimensões com a adesão. O objectivo do presente estudo consistiu em avaliar a associação entre adesão à terapêutica, QdV e sintomatologia psicopatológica numa amostra de doentes infectados por VIH, e identificar os preditores demográficos, clínicos e psicológicos da não-adesão. Método: Um estudo transversal foi realizado nos principais serviços/departamentos de doenças infecciosas dos Hospitais Portugueses. A amostra foi constituída por 762 doentes infectados por VIH. O protocolo de avaliação incluiu as versões Portuguesas do instrumento de qualidade de vida WHOQOL-HIV-Bref e o Inventário de Sintomas Psicopatológicos (Brief Symptom Inventory - BSI). Resultados: Dos 762 doentes, 133 (17.5%) referiram não aderir completamente à terapêutica. Os doentes do grupo não-adesão reportaram pior QdV. Os testes univariados subsequentes mostraram diferenças significativas em 4 dos 6 domínios de QdV. As excepções foram os domínios Relações sociais e Espiritualidade. Relativamente à sintomatologia psicopatológica, verificou-se igualmente um efeito significativo, ainda que os testes univariados apenas tenham revelado um efeito univariado significativo na dimensão psicoticismo. A regressão logística mostrou que menor idade, maior tempo de diagnóstico e mais tempo a realizar medicação, menor contagem de linfócitos TCD4+, estádio sintomático/SIDA e maior psicopatologia (nas dimensões sensibilidade interpessoal, ansiedade e psicoticismo) estavam associados a maior probabilidade de não aderir à medicação. Conclusões: Estudos adicionais sobre a adesão à HAART devem considerar a inter-relação entre variáveis demográficas, clínicas e psicológicas. Esta compreensão poderá ajudar a identificar os doentes em maior risco de não-adesão, bem como em maior risco de pior qualidade de vida e saúde mental.
URI: http://hdl.handle.net/10316/20682
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat
2011 Adesão à HAART, Qualidade de vida e Sintomatologia psicopatológica.pdf371.13 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

472
checked on Dec 10, 2019

Download(s) 50

229
checked on Dec 10, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.