Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/14463
Title: Exercício anaeróbio, óxido nítrico e peroxidação lipídica
Authors: Valado, Ana 
Pereira, Leonel 
Keywords: óxido nítrico; Exercício anaeróbio,; peroxidação lipídica
Issue Date: 2-Feb-2011
Abstract: Introdução: O exercício físico regular é considerado, não só, um factor importante para o bem-estar físico e psíquico do indivíduo como, pode mesmo, interferir no processo de envelhecimento, retardando-o. Contudo, a prática do exercício físico desencadeia uma situação de stress fisiológico, à qual o organismo responde activando mecanismos de adaptação. A disponibilidade de oxigénio e a libertação de óxido nítrico propiciam a formação de espécies reactivas de oxigénio, conduzindo à formação de lesões celulares e tecidulares graves. Objectivo: Determinar o efeito do exercício anaeróbio intenso, em indivíduos treinados (atletas) e não treinados (controlo), na produção e libertação de óxido nítrico e na formação de radicais livres de oxigénio. Material e métodos: No estudo participaram indivíduos jovens, voluntários, que constituíram dois grupos: atletas e grupo controlo, que não praticava desporto com regularidade. Realizou-se um teste anaeróbio supra-máximo, designado teste de Wingate. Procedeu-se à colheita de sangue em dois momentos, em repouso e 15 minutos após o exercício, à excepção dos lactatos. Por fim, efectuou-se o estudo laboratorial, determinando as concentrações de lactatos sanguíneos, óxido nítrico plaquetar e plasmático e de malonildialdeído plasmático. Resultados: Os atletas manifestaram uma diminuição signifi cativa em repouso e após exercício nos níveis de malonildialdeído, em relação ao grupo controlo. Nos atletas verifi cou-se, também, uma diminuição signifi cativa, na concentração de lactatos, após exercício, relativamente ao controlo. Contrariamente, as concentrações de nitritos intraplaquetares, libertados pela plaqueta e totais apresentaram nos atletas, um aumento signifi cativo, em repouso e após exercício, relativamente ao controlo. Conclusão: As diferenças encontradas entre os grupos relacionam-se com o treino físico, parecendo estimular os mecanismos de adaptação, bem como as defesas antioxidantes dos atletas, conferindo maior protecção cardiovascular e maior protecção contra o stress físico e oxidativo, comparativamente aos indivíduos que não praticavam desporto com regularidade.
URI: http://hdl.handle.net/10316/14463
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Valado & Pereira, 2009.pdf128.1 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

107
checked on May 21, 2019

Download(s)

67
checked on May 21, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.