Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/13189
Title: Os Benefícios de um Programa de Exercício na Diminuição dos Factores de Risco para a Saúde, em Crianças e Jovens com Excesso de Peso e Obesidade
Authors: Silva, Sónia Cristina Soares da 
Orientador: Ribeiro, Fontes
Santos, Amândio
Keywords: Actividade física; Obesidade; Jovens obesos; Prescrição do exercício
Issue Date: 2006
Abstract: Segundo a Organização Mundial de Saúde (2004), a obesidade é classificada como a epidemia do século XXI, pois tem vindo a aumentar consideravelmente, sobretudo na infância e na adolescência, tornando-o um problema sério de saúde pública, que atinge países mais e menos desenvolvidos. Deste modo, os objectivos principais do estudo baseiam-se: na avaliação da população de três escolas da Cidade de Coimbra (Secundária D. Duarte, Secundária Quinta das Flores e Básica segundo e terceiro ciclo, Dra. Maria Alice Gouveia), através do Índice de Massa Corporal, identificando os sujeitos com excesso de peso e obesidade; na redução da percentagem de massa gorda e dos factores de risco para a saúde, através da prescrição de um programa de treino individualizado e aconselhamentos nutricionais; e na criação de novos hábitos e estilos de vida activos e saudáveis. Pretende-se ainda, comparar a amostra experimental que participou no programa “Activo e Saudável”com o grupo de controlo, seleccionado aleatoriamente entre os sujeitos que não participaram no programa, com o intuito de verificar se existiram ou não diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos. A amostra total foi constituída por 1567 sujeitos, dos quais, após a determinação do Índice de Massa Corporal, foram identificados 330, com excesso de peso e obesidade, 185 do sexo masculino e 145 do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 10 e os 21 anos. O que significa que, na amostra total, 21,06% apresenta excesso de peso e obesidade. Apesar das evidentes vantagens para a saúde, apenas 34 sujeitos integraram no programa. O programa “Activo e Saudável” teve uma duração total de 16 semanas. Nesse período, realizaram-se nas três primeiras semanas, três sessões semanais de caminhadas com uma duração de 30 minutos e uma intensidade de 60% da FCMR, de modo a prepará-los para uma actividade mais vigorosa. Na quarta semana o objectivo era a adaptação dos sujeitos ao programa de treinos proposto, que incluía treino aeróbio, treino de força (cálculo de 1RM) e flexibilidade. O treino aeróbio era composto por um período de aquecimento (5 a 10’) e uma parte fundamental, esta iniciada a uma intensidade de 60% da FCMR, e a partir da sétima semana a uma intensidade de 60% do VO2máx.. O volume era inicialmente 30 minutos, aumentando gradualmente até 60 minutos, com três sessões semanais. O treino de força foi efectuado duas vezes por semana a uma intensidade de 60% de 1 RM e com um aumento gradual de volume, de 1 a 3 séries. A flexibilidade era realizada em todas as sessões de treino com posições de alongamento mantidas de 20 a 30 segundos, para cada articulação importante. Ao longo de todo o programa foram fornecidas num documento de apoio algumas orientações nutricionais, relativas à quantidade e à qualidade dos alimentos, tendo em consideração a pirâmide dos alimentos. Para melhor controlar a sua alimentação, os sujeitos elaboravam semanalmente um diário alimentar, que era recolhido e analisado para alertar os sujeitos dos principais erros alimentares. As orientações nutricionais foram importantes na modificação comportamental dos sujeitos, tendo-se verificado diferenças estatisticamente significativas no número de refeições correctas, que inicialmente eram em média três refeições correctas diárias, e posteriormente cinco refeições correctas por dia. Os resultados indicaram diferenças estatisticamente significativas, na massa corporal, massa gorda, massa magra e taxa de metabolismo basal. Sendo assim, a amostra perdeu em média 1,77 kg de massa corporal, e 2,91% de massa gorda. Por outro lado, aumentou em média 2,97% de massa magra e ainda 47,21 kcal/dia na taxa de metabolismo basal. Igualmente, entre a amostra e o grupo de controlo verificaram-se diferenças estatisticamente significativas. Em relação à amostra, o grupo de controlo apresentou em média, mais 8,61 kg de massa corporal, e consequentemente um maior Índice de Massa Corporal. Os resultados sugerem que o combate do excesso de peso e obesidade, como factor de risco para a saúde, só pode resultar se associarmos a modificação comportamental (hábitos alimentares e estilos de vida activos e saudáveis) a um programa de exercício individualizado e periodicamente ajustado, em função das melhorias conseguidas (qualidade de vida)
Description: Disponível em suporte de papel na Biblioteca da FCDEF/UC
URI: http://hdl.handle.net/10316/13189
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat
ÍNDICE GERAL.pdf88.24 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

81
checked on Aug 4, 2020

Download(s)

44
checked on Aug 4, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.